Entenda Como o Sexo Sem Segurança Pode Afetar Todo Mundo

Mesmo com tanta informação que circula pelos meios de comunicação, mesmo com todas as campanhas que o governo divulga, os órgãos de saúde promovem e as escolas ensinam, ainda assim nem todo mudo compreende como é importante garantir a segurança na hora do sexo.

O preservativo, ou camisinha, como é mais conhecido, é distribuído gratuitamente nos postos de saúde, educadores ensinam como deve ser utilizado e mostram as várias doenças que ele pode prevenir, porém, os casos de DSTs e doenças que também são transmissíveis através do sexo, como a hepatite, por exemplo, continuam a crescer.

desempenho sexual

Isso acontece porque as pessoas ainda não conseguiram compreender como o sexo sem segurança pode afetar a todo mundo. A visão que se tem dos problemas de saúde é muito limitada, e a fala de esclarecimento ainda é uma realidade, especialmente quando se trata de compreender que todos estamos inseridos no mesmo meio e fazemos parte da mesma sociedade.

Sendo assim, aquilo que afeta uma pessoa pode afetar centenas de pessoas numa reação em cadeia. É por isso que quando uma pessoa faz sexo sem camisinha, se tomar as devidas medidas para que a relação sexual seja segura, ela coloca em risco não apenas a si mesma, mas pessoas que ele nem mesmo conhece.

Que tal uma pequena história para ilustrar como é importante manter uma reação sexual segura?

Carlos é um rapaz que mora com seus pais e suas duas irmãs. Ele já está na fase adulta, embora ainda jovem, não tem compromisso, gosta de sair para balada nos finais de semana, tem um emprego fixo e uma vida normal.

Mas, embora viva uma vida responsável ele tem um defeito: detesta usar a camisinha, e por isso, quando vai para balada prefere se relacionar apenas com moças bem vestidas, bem arrumadas, bonitas e que demonstrem status social elevado. Assim ele se sente mais seguro para dispensar a camisinha na hora do sexo.

Parece que ninguém avisou para o Carlos que as DSTs nem sempre marcam o rosto de uma pessoa e que boa aparência não é sinal de saúde. E foi assim que ele sem saber contraiu sífilis. Portando a doença ele manteve a sua vida como antes, no trabalho em casa, com os amigos  e na balada.

A sífilis é uma doença que pode ser transmitida de diversas formas, inclusive através do banheiro, local que o jovem dividia com sua família, com colegas do trabalho e também nos lugares onde frequentava.

Somente em sua casa ele tinha contato diário com mais quatro pessoas, essas quatro pessoas mantinham sua rotina de trabalho e estuda, assim como ele. Agora, para entender essa grande reação em cadeia, basta imaginar se apenas a família do rapaz tiver contraído sífilis, e cada uma das quatro pessoas tiver contato com mais dez, já temos 40 infectados. Se esses 40 tiverem contato com mais dez pessoas cada um, temos 400 infectados, e tudo porque um dispensou o uso da camisinha.

A situação se avoluma de tal forma que se perde o controle do que está acontecendo. As mulheres infectadas, além de transmitirem a doença para pessoas a sua volta ainda podem transmitir para o filho.

E veja bem, pois aqui estamos falando de uma doença pouco agressiva, que á sífilis, mas não é somente ela que é transmitida pelo sexo, certo? E se essa reação em cadeia for relacionada à AIDS?

O efeito pode ser tão grande que se as pessoas sexualmente ativas não tiverem consciência da importância da segurança no sexo, em breve estaremos vivendo grandes pandemias.

Como se prevenir durante o sexo

É muito importante buscar por informação sempre que surgir uma dúvida sobre sexo seguro, doenças sexualmente transmissíveis e outros problemas que a relação sexual desprotegida pode trazer.

Buscar por informação não é vergonhoso, vergonhoso é cometer erros que poderiam ser evitados mesmo tendo acesso as informações.

A relação sexual para ser segura, não precisa ser mantida apenas com um parceiro, mas deve sempre acontecer com o uso do preservativo. DSTs também são transmitidas pelo sexo anal e o sexo oral, por isso, para esses também é importante usar camisinha.

Algumas doenças são transmitidas pelo beijo, através de machucados na boca ou pela saliva. É importante manter a saúde bucal, tratar os dentes cariados, as feridas da boca e cortes

Também deve-se regularmente visitar o médico e fazer exames de rotina. Convém evitar ao máximo dispensar a camisinha nas relações, mas se isso acontecer, é importante abster-se do sexo e realizar todos os exames para diagnosticar possíveis doenças.

Descobrir uma DST no começo oferece maiores chances de sucesso no tratamento. Esse tratamento acontece de maneira gratuita na rede pública de saúde, basta procurar por uma unidade.

Uma relação sexual sem segurança não é problema apenas de dois, mas de todos. Pode afetar as famílias, os amigos, colegas e qualquer pessoa que tem contato com o infectado.

Sexo é bom, e melhor ainda quando feito com segurança, pois assim os momentos de prazer não se transformam em meses, anos ou uma vida de dor.

It's only fair to share...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn